O Voo da Bruxa

POEMAS VERDADEIROS DE UM FALSO AMOR, EM HOMENAGEM AO DIA DO SACI E ÀQUELES QUE VIVERAM UMA ILUSÃO.

No nada, e toda de negro,
a mostrar suas lindas coxas de marfim,
ela me apareceu montada,
com lábios de carmim.
Me encantou com um mero feitiço.
Foi mesmo no dia do Saci.
Depois do sortilégio,
apenas subiu na vassoura
e, como negro colibri,
tomou chá de sumiço.
Dizendo antes:
eu te vi e
já te comi.

António Paixão on EmailAntónio Paixão on Facebook
António Paixão
ESCRITOR
António Paixão é um desgraçado jornalista permanentemente desempregado. É um velhote neurastênico, comunista de carteirinha, mas com uma cultura eclética e pouca disposição para brigar, porque procura, mas sem sucesso, ser simpático. Como todo jornalista, António Paixão não funciona sem álcool, pois é uma pessoa pouco confiável por muitas razões, dentre as quais por ser do sexo masculino, carioca e torcedor do Botafogo. Em São Paulo, torce pelo Corinthians e, em Portugal, pelo Vila Real. Julguem.