Poema do Além

Coletâneas de poemas do autor.


Foi após aquela despedida,
tristonha e sofrida;
amarga, dolorida e solitária,
a partida daquela vida.
Daqui vejo nuvens e clarões.
Apenas tons marmóreos e funéreos.
Onde estou?
Para onde vou?

António Paixão on EmailAntónio Paixão on Facebook
António Paixão
ESCRITOR
António Paixão é um desgraçado jornalista permanentemente desempregado. É um velhote neurastênico, comunista de carteirinha, mas com uma cultura eclética e pouca disposição para brigar, porque procura, mas sem sucesso, ser simpático. Como todo jornalista, António Paixão não funciona sem álcool, pois é uma pessoa pouco confiável por muitas razões, dentre as quais por ser do sexo masculino, carioca e torcedor do Botafogo. Em São Paulo, torce pelo Corinthians e, em Portugal, pelo Vila Real. Julguem.