Meu amor disse-me adeus

Coletâneas de poemas do autor.

Um dia ela chegou
e me disse adeus.
Não mais aguentava
os caprichos meus.
Fez logo a sua mala
e eu lhe implorei:
“fique, pelo amor de Deus”.
Recebi cruel banana e ela falou:
“vá buscar o consolo dos seus”.

António Paixão on EmailAntónio Paixão on Facebook
António Paixão
ESCRITOR
António Paixão é um desgraçado jornalista permanentemente desempregado. É um velhote neurastênico, comunista de carteirinha, mas com uma cultura eclética e pouca disposição para brigar, porque procura, mas sem sucesso, ser simpático. Como todo jornalista, António Paixão não funciona sem álcool, pois é uma pessoa pouco confiável por muitas razões, dentre as quais por ser do sexo masculino, carioca e torcedor do Botafogo. Em São Paulo, torce pelo Corinthians e, em Portugal, pelo Vila Real. Julguem.