Venus Pugnax

Diretamente da adega onde faz retiro num tonel de vinho tinto o poeta, delirante pelos efeitos colaterais dos líquidos e gasosos, nos enviou o poema abaixo, depois de ter visto a mulher amada numa lagartixa que se posicionou na parede de frente a ele:

Deusa grega da pele dourada,
de todos no Olimpo
sois a mais idolatrada,
pois tua beleza é pura e singular,
tanto vestida como despida.
A ti me entrego pelo prazer
que só é dado pela mulher amada.

António Paixão on EmailAntónio Paixão on Facebook
António Paixão
ESCRITOR
António Paixão é um desgraçado jornalista permanentemente desempregado. É um velhote neurastênico, comunista de carteirinha, mas com uma cultura eclética e pouca disposição para brigar, porque procura, mas sem sucesso, ser simpático. Como todo jornalista, António Paixão não funciona sem álcool, pois é uma pessoa pouco confiável por muitas razões, dentre as quais por ser do sexo masculino, carioca e torcedor do Botafogo. Em São Paulo, torce pelo Corinthians e, em Portugal, pelo Vila Real. Julguem.